Dos 128 açudes da PB apenas o São José II, que fica em Monteiro, no Cariri, está sangrando

 

Mesmo com chuvas, 78 açudes estão quase secos na Paraíba

Setenta e oito açudes da Paraíba estão com menos de 20% da capacidade de armazenamento de água, o que significa que os mananciais estão em observação (entre 20% e 6%) ou situação crítica (menos de 5%), mesmo com diversos municípios registrando chuvas nos últimos dias. Os dados são da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

Conforme a Aesa, dos 128 açudes monitorados apenas o São José II, que fica em Monteiro, no Cariri, está sangrando. Outros 49 mananciais estão com armazenamento superior a 20%, 39 estão em observação e outros 39 em situação crítica.

Na Capital, que é abastecida por Marés e Gramame, a situação segue sob controle. Marés, que tem capacidade de 2,1 milhões de metros cúbicos (m³), possui atualmente 1,8 milhão de m³, equivalente a 87,1% da capacidade. Em Gramame, que tem capacidade de 56,9 milhões de m³, possui atualmente 35,9 milhões de m³, equivalente a 63,1% da capacidade.

Já o açude Epitácio Pessoa, na cidade de Boqueirão, responsável pelo abastecimento de Campina Grande e outros 17 municípios, está com 84 milhões de m³ de armazenamento, que equivale a 20,4%.

Situação de outros grandes mananciais pelo estado:

Coremas (Coremas) – capacidade para 591,6 milhões de m³ e está com 51,3 milhões de m³, o que equivale a 8,6%;

Mãe d’Água (Coremas) – capacidade para 567,9 milhões de m³ e está com 33,4 milhões de m³, o que equivale a 5,8%;

Engenheiro Ávidos (Cajazeiras) – capacidade para 255 milhões de m³ e está com 47,7 milhões de m³, o que equivale a 18,7%;

Acauã (Itatuba) – capacidade para 253 milhões de m³ e está com 16,1 milhões de m³, o que equivale a 6,3%;

Cordeiro (Congo) – capacidade para 69,9 milhões de m³ e está com 3,3 milhões de m³, o que equivale a 4,7%;

Capoeira (Santa Terezinha) – capacidade para 53,4 milhões de m³ e está com 2,2 milhões de m³, o que equivale a 4,2%;

Sumé (Sumé) – capacidade para 44,8 milhões de m³ e está com 1,1 milhões de m³, o que equivale a 2,4%;

Capivara (Uiraúna) – capacidade para 35,7 milhões de m³ e está com 1,4 milhões de m³, o que equivale a 3,7%;

Carneiro (Jericó) – capacidade para 31,2 milhões de m³ e está com 851 mil m³, o que equivale a 2,7%;

Jatobá (Patos) – capacidade para 17,5 milhões de m³ e está com 168 mil m³, o que equivale a 0,96%.

Chuvas

Duas cidades paraibanas registraram, entre essa segunda-feira (4) e esta terça-feira (5), chuvas além do esperado para o mês de fevereiro. São os casos de Nova Floresta e Cuité, localizadas no Agreste Paraibano.

No caso da primeira, choveu 181,5 milímetros (mm), o que representa 132% a mais do esperado para o período, que era 78mm. Já na segunda cidade, foram registrados 123,2 mm, 42,6% a mais do previsto, que era 86,4mm.

De acordo com a meteorologista Marle Bandeira, da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa), a chuva registrada em Nova Floresta foi a maior desde 1994. Segundo ela, o que chegou mais próximo foi uma precipitação que aconteceu em janeiro 2011, quando foram registradas 144mm de chuva

Compartilhe

Redação Cariri em Ação

Leia mais notícias em caririemacao.com, siga nossa página no FacebookInstagram e Youtube e veja nossas matérias, vídeos e fotos. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Cariri em Ação pelo WhatsApp (83) 9 9634.5791, (83) 9 9601-1162.